SEUS PROBLEMAS (E DESCULPAS) ACABARAM.

Se manter atualizado sobre técnicas e materiais nos dias de hoje, com inovações sendo divulgadas a cada hora na internet gera dois tipos de reações, a que anima saber que nosso dia a dia pode ficar mais fácil e nosso trabalho melhor e a que gera dúvidas de como e onde utilizar as novidades.

Empresas do ramo costumam ter promotores que visitam-nos no consultório com o objetivo de elucidar duvidas. Infelizmente esse serviço atinge uma pequena parte de nós, e na maioria dos casos os promotores não técnicos e nem sempre tem a experiência do uso do material. Quem já não saiu do CIOSP ou de qualquer outro congresso do tipo, com a promessa de uma visita que nunca se confirma?

Você que, como eu está num, grande centro e próximo a centros de estudos e pesquisas pode eventualmente fazer um curso com um colega que já domina tal técnica, mas e o colega que mora no interior do país, ou mesmo em São Paulo, mas em cidades pequenas? E os custos de um curso?

Eu tenho sempre muito cuidado para criticar um trabalho de um colega, principalmente se foi feito há mais de 20 anos e falei sobre isso aqui por imaginar as dificuldades nas atualizações, mas se você está nessa situação: SEUS PROBLEMAS ACABARAM!

Há alguns poucos anos uma dupla de amigos empreendedores decidiram investir numa idéia que inicialmente era fazer uma plataforma de contato entre colegas. Mas visionários que são, decidiram ampliar os horizontes e passaram a oferecer conteúdo cientifico.

Hoje o IDent é uma plataforma com um rico conteúdo que atinge a grande maioria das nossas necessidades.

Lá você encontra desde os contatos de colegas para fazer o tão importante networking, um catálogo completo de produtos com link para as lojas, mas a cereja do bolo é se ter acesso a um enorme conteúdo de CURSOS e DICAS on line com os mais renomados e influentes professores das mais diversas áreas.

Você pode por exemplo assistir curso de dentistica com o Garófalo ou com o Carlos Francci ou ainda endo com o Marcelo dos Santos quando quiser.

E o que você precisa para isso?

Ter um computador com acesso a internet e fazer uma assinatura anual.

Eu fui presenteada com uma assinatura pelo Felipe Cabral para conhecer e adorei.

Não estou fazendo propaganda de ninguém, eu realmente gostei.

Outro dia assisti uma aula sobre tomada de medias para fazer uma prótese total e tirei dicas maravilhosas.

Claro que nada substitui um curso presencial, um hands on para se ter contato com o material, mas pra muita gente isso será de grande ajuda.

Vai lá, conheça o IDent.

Abraços.

Anúncios
Published in: on 13 de fevereiro de 2017 at 08:00  Deixe um comentário  
Tags: , , ,

CIOSP ou Congressão pros íntinos!

 

Como a maioria dos meus leitores ja sabem, eu me formei  Tecnica em Prótese Dentária em 1988. Em 1987, fui a um congresso para protéticos, no então chiquérrimo Hotel Maksoud Plaza. Aproveitei muito pouco. Meu conhecimento era muito básico e a dinâmica do evento pouco me ajudou. Tomei isso como experiência.

Durante a faculdade eu não fui a Congressos pensando justamente no pouco que poderia aproveitar. Além do que eu trabalhava o dia todo e as inscrições eram pagas, pra mim, outro empecilho.

Me formei Dentista no final de 1990, e aí, com outra visão passei a frequentá-los.

Aqui eu me refiro principalmente ao CIOSP, um mega evento,que acontece anualmente, em janeiro, na cidade de São Paulo, e é organizado pela Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas.

Nem sempre foi assim.

Tudo começou em 1957 com o nome de I Congresso Paulista pró Sede Própria e se deu na Galeria Prestes Maia de 21 a 27 de julho daquele ano, sob a presidência de Edmundo Nejm. O evento contou com a participação de incríveis 1300 pessoas.

A segunda edição aconteceu somente de 01 a 07/07 de 1961 e contou com 1800 participantes. Seu presidente foi Paulino Guimarães Junior. A terceira edição aconteceu entre 17 e 23/07 de 1968, sob a presidencia de Francisco Degni. Contou com 2200 participantes. A partir daí passou a ser bianual e em janeiro.

Em 1974, em sua sexta edição passou a ser realizado no Palacio das Convenções do Anhembi. Com 4200 inscritos, um espaço maior era necessário. Seu Presidente foi Haroldo Montagna

O numero de participantes aumentava exponencialmente, e a partir de 1994 o evento passou a ocupar também o Pavilhões de Exposições do Anhembi, as instalações da sede da APCD/Central e do Hotel Maksoud Plaza. Nesta Edição, presidida por Carlos Alberto Dotto, o numero de participantes já era de 20.032. Neste ano ocorreu a I FIOSP (Feira Internacional de Odontologia de São Paulo). Hoje o CIOSP faz parte da agenda oficial de eventos da cidade de São Paulo. É o chamado turismo de negócios.

Cirurgiões-Dentistas, Acadêmicos, TPD, TSB e ASB tem adesão gratuita ao  CIOSP já há alguns anos.

A FIOSP reuni representantes comerciais de todo o mundo, propiciando ao congressista contato direto com materiais, instrumentos e equipamentos, nacionais e importados, facilitando seu conhecimento sobre eles e eventualmente sua compra.

Mas o objetivo primeiro do Congresso é a atualização e informação cientifica dos congressistas.

A partir do ano passado, passou a ser realizado no Expo Center Norte e a organização esperava contar com publico de 50mil pessoas. Eu particularmente, acho que a mudança deixou a desejar, a não ser pelo fato de podermos contar com ar condicionado, porque, calor de 30° dentro do Anhembi, chegava a ser cruel. Talvez fosse um período de adaptação. Aguardemos !

Para a proxima edição, a 30° sob a presidência de Carlos Alberto Oliveira Battaglini, a ser realizado de 28 a 31 de janeiro de 2012  espera-se superar a marca de 50.797 inscritos na 29° edição.

Como vocês puderam observar, o sucesso é visível, mas, sempre tem um mas…

Eu, como Congressista, sinto falta das empresas do ramo focarem na conquista e fidelização dos clientes. Explico.

Salvo raras e honrosas excessões, as empresas de material odontológico, empenham-se muito em vender seus produtos. Nomes como a Dentisply, a 3MESPE, J&J, Angelus e outras, num passado próximo promoviam rapidos wokshops e hands-on que serviam além de divulgar o produto, tirar duvidas sobre composição, uso e tecnicas. Muito do que eu uso hj, tive contato numa dessas exposições.

Nos ultimos anos esse lado foi abandonado. Acredito que o alto custo dos espaços tenha pesado. As empresas se instalam em áreas minusculas e, não raramente, tem uma área VIP (tratamento desigual para iguais). Será que elas não veem que todos os profissionais compram do mesmo jeito?

Algumas empresas ainda promovem palestras, mas o esquema de inscrição, que por vezes é por ordem de chegada na hora do evento, sempre tem preteridos. Sem falar naqueles jogos e micos que até presenteiam quem se dispuser a participar. Eu que não me presto a tal…

Gostaria de deixar aqui também uma sugestão para estas empresas. O brinde dado será de maior valia, se puder ser utilizado no consultório, onde o profissional testaria , e se agradado, consumiria. Canetas, blocos de papel, escovas e cremes dentais pra quê?

Eu, por exemplo uso as cunhas de borracha e a unimatriz da TDV pq ganhei, usei e adorei (não ganhei nada pra declarar isso, viu!)

Bem, de qualquer forma, o Congressão começa no próximo sábado. Com uma grande e diversificada grade cientifica.

Sem falar no encontrar colegas, trocar experiências e fazer o tão falado networking.

Ah, e tem ainda a  programação social, porque ninguém é de “amálgama”!

Sejam bem vindos e aproveitem São Paulo!

Em tempo:  1ºFórum de blogs e mídias sociais na Odontologia dia 28/01/2012 das 9 às 11h.

Vai Bombar! hehehe A gente se vê!

 

 

Published in: on 23 de janeiro de 2012 at 09:00  Comments (2)  
Tags: , , , ,

A evolução

Diariamente, eu e meus colegas Odontoblogistas nos deparamos com a mesma pergunta:

_ Dra: Pq antigamente a gente ia no dentista e pedia pra “arrancar” o dente ele arrancava sem titubear???

Vou colocar aqui a resposta que dou, e vejam, é apenas a minha visão.

Num passado não tão distante assim, a formação profissional era muito diferente.

Os cursos de Odontologia eram em menor numero e concentrados nos grandes centros.

Formado, o Dentista se embrenhava na profissão.  Sua base de pesquisa eram os livros guardados da Graduação.

Quando me formei era muito comum ouvir-se: _Meu dentista é muito bonzinho, mas não se atualizou!

Mas pense: Como se atualizar???

Os cursos não eram tão abundantes. As distâncias eram maiores. Colegas radicados em cidades pequenas do interior, mesmo tendo estudado em grandes centros, não mais voltavam. A ciranda da vida os engolia.

Ta certo, eles podiam comprar livros, mas onde? E o tempo pra ler? Nós mesmos hoje em dia, com o acesso facil, quase não o fazemos.

E então, o colega aprendia uma técnica nova no livro e… Cadê o material???

Novamente as distâncias!

Algum bom contato poderia facilitar, e em algumas semanas o material chegaria pelo correio. Nada de SEDEX10! Isso se estivesse a venda no Brasil.

Quem podia viajar, trazia na bagagem, além de informações VALIOSÍSSIMAS, algum material por debaixo do pano. As importações eram proibidas.

Lembro claramente da visita de um “vendedor” no consultorio que eu trabalhava. Ele vinha com uma maleta preta, tipo 007 e tinha um ar de:  Se quiser o preço é esse! Não sei qual era o seu fornecedor, mas ele tinha o PODER!!!

Então, aquele colega do inicio do texto, fazia o que podia.

Dentes alemães para prótese, eram sonho de consumo de muito edentulo, e poder tê-los era um luxo (mesmo que parecessem cascas de coco batendo ao mastigar)!

As opções de ligas para fundição eram poucas. Na endodontia a limpeza dos canais era feita na base da “FÉ”! Os instrumentos eram poucos e nada flexíveis. Era frequente as tentativas de salvar o dente apenas trocando o algodão com medicamento, uma vez por semana, durante meses, e depois se chegar a conclusão que só a exodontia resolveria a dor. Rx era luxo!

Nada de psicologia com crianças e pouco conhecimento sobre dentição decídua. Ranca que vem um bom no lugar (!)

Só pra ilustrar alguns casos.

Hj nós acessamos a internet e trocamos conhecimento com colegas do  outro lado do mundo em tempo real. Podemos comprar de tudo (desde que se tenha $$$).

Mesmo assim, a realidade para muitos brasileiros ainda é muito dura. Falei um pouco sobre isso aqui.

Hoje fazemos rizectomia, aumento de coroa clinica, apicectomia, entre outras manobras pra salvar o dente, e isso é louvável, mas não podemos crucificar o colega, que optou pela exodontia, sem antes analisar sua realidade.

Sem falar da realidade do paciente, que nem sempre tem recursos financeiros.

Sempre que me deparo com um caso assim, tento me transportar pra realidade do outro, e imaginar o que de melhor eu faria naquela situação.

E acreditem, muitas vezes eu não faria nada melhor!

Então, agora, faça uma breve oração de agradecimento, por cada uma das facilidades que temos atualmente.

Published in: on 28 de novembro de 2011 at 13:01  Comments (7)  
Tags: , , ,