Resíduos de radiologia

Quem me acompanha já deve ter percebido minha preocupação com a destinação correta dos dejetos gerados no consultório.

Aqui em São Paulo a coleta do material contaminado é feita pela Prefeitura mediante um cadastro e pagamento da TRSS (taxa de resíduos sólidos de saúde), e incinerada. Desconheço como é a regra em outras cidades. Falei sobre isso aqui.

Já há algum tempo eu procuro separar tudo para dar os destinos corretos.

Separo as embalagens e bulas para jogar nos recicláveis, assim como os frascos (menos os de remédios). Comos plásticos.

O lixo comum a coleta domiciliar leva.

Mas o que fazer com as películas, o revelador e o fixador (eu ainda não entrei na era Rx Digital)?

Há alguns anos li num blog que infelizmente não existe mais, uma ótima entrevista com uma colega especialista no gerenciamento de resíduos, onde ele falava sobre a “neutralização” das químicas radiográficas antes do descarte na rede de esgoto.

Como não localizei a entrevista pedi auxilio para um fabricante que meu deu as informações que eu vou dividir com vocês.

As diluições devem ser feitas na proporção de 1:1, usando

Hipoclorito de sódio > para< Fixador

Ácido acético >> Vinagre caseiro > para< Revelador

Mas isso só serve para pequenas quantidades.

Devo admitir que isso me incomoda. Não me convence muito essa história de neutralização já que a prata presente no revelador, por exemplo, vai continuar lá.

Quanto as películas processadas e as lâminas de chumbo dos filmes, estes também precisam ser processados por empresas especializadas.

Para serem recicladas as radiografias passam por um processo de lavagem que separa a prata que é recolhida e vendida do acetato que é reciclado como plástico.

Se você entrar na internet vai encontrar diversos anúncios de “empresas” que compram estes dejetos para processar, separar a prata e vendê-la. Acho que esse será meu próximo passo, mas vou precisar de muita pesquisa, porque me causa certa estranheza que se tenha empresas que retiram esse material e cobram por isso e outras que te pagam pelo mesmo dejeto. Considerando que o processo de retirada da prata também gera água contaminada, a empresa recicladora deve ter consciência ambiental, afinal, nada adianta se o meu rev/fix não vai pro meu ralo, mas vai pro ralo em outro endereço.

Mas lembre-se de consultar a legislação local. Para emissão do alvará de funcionamento do consultório, a maioria das cidades exigem um PGRSS (Plano de Gerenciamento de Residuos de Servoços de Saúde).

Um abraço.

Anúncios
Published in: on 21 de outubro de 2016 at 08:00  Deixe um comentário  
Tags: , , , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://odontostalgia.wordpress.com/2016/10/21/residuos-de-radiologia/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: